Divã Executivo

com
1

Devo mudar para uma faculdade de que gosto se ela é menos promissora?

>> Envie sua pergunta, acompanhada de seu cargo e sua idade, para: diva.executivo@valor.com.br

Trabalho há quatro anos em uma multinacional, onde já passei pelas áreas de estratégia, marketing e novos negócios. Mas não me identifiquei com as atividades pelas quais passei. Estou no 3º ano de administração, com o qual também não tenho prazer e não me identifico. Tenho estudado arquitetura e urbanismo em cursos curtos e gosto da área. Considero seguir nela, mas tenho medo de ficar em desvantagem por causa da idade e tenho receio que o setor ofereça poucas vagas. Devo desistir de uma nova profissão por causa da crise no setor, mesmo essa podendo ser a carreira ideal para meu perfil? 

Analista de marketing, 26 anos

Antes de mais nada, esqueça o fator idade. Você tem apenas 26 anos e 4 anos de carreira em áreas altamente valorizadas no mercado. Entendo que você não se identifica com a área e com certeza você tem se esforçado e gastado energia para se adaptar e trazer resultados. Contudo, isso não faz sentido uma vez que você está infeliz.  

Começando pela sua formação, sugiro você terminar o curso de administração, afinal você está no 3º ano, e este curso vai contribuir muito para qualquer carreira que você for abraçar. O que você terá como diferencial é a visão mais ampla na gestão de um negócio, seja qual área ou segmento de mercado em que você irá atuar no futuro. 

Quando decidimos mudar de carreira, geralmente damos um passo para trás ou seja, pagamos um “pedágio” para começar praticamente de zero. Mas isso é um detalhe, pois se você realmente quer mudar, isso tem que fazer parte do seu projeto de mudança de carreira. Você tem no mínimo mais de 40 anos pela frente para construir e se destacar nessa nova carreira. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou em 2016 relatório anual com dados sobre o monitoramento da saúde no mundo. De acordo com o documento, a expectativa de vida aumentou cinco anos entre 2000 e 2015, o crescimento mais rápido desde os anos 1960. Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam, que para os homens, o aumento foi de 71,6 anos para 71,9 anos. Já para as mulheres, o aumento foi de 78,8 anos para 79,1 anos. 

Imagine a quantidade de tempo que você tem pela frente para fazer o que realmente gosta, e isso não para por aí, pois a longevidade vai continuar aumentando e você poderá exercer, ao longo do tempo, novas carreiras. Mesmo no momento atual de crise existem oportunidades que você poderá identificar e focar para conseguir fazer essa mudança.

Comece olhando para si e identificando seus diferenciais competitivos que podem ser usados em qualquer tipo de segmento e que sejam transferíveis para a nova carreira. Em seguida, analise o futuro, pois é nele que você terá que mirar para se destacar. Certamente você tem acompanhado as mudanças que estão afetando nossas vidas com uma rapidez impressionante. Mudanças não apenas tecnológicas, digitais, e sim em vários campos da ciência, do comportamento do consumidor e em qualquer carreira. 

Analisando o segmento que te interessa, existem oportunidades fantásticas em que o uso da tecnologia, automação e novos produtos têm gerado novas carreiras que aliam arquitetura, urbanismo e tecnologia. Desde construções sustentáveis, casas e edifícios inteligentes, e Internet das Coisas, uma forte tendência onde objetos se conectam à internet, ou seja, o físico e o digital que se complementam. Já o urbanismo tem um campo fértil, pois a qualidade de vida nas nossas cidades precisa melhorar muito. 

No mundo corporativo, as empresas têm buscado algo mais funcional, integrado, com aumento da produtividade e interação das equipes. Fazendo um link com o aumento da expectativa de vida, veja que pessoas idosas irão cada vez mais buscar comodidade com uso da tecnologia e ambientes adaptados, melhorando sua qualidade de vida. 

Para que esta mudança de carreira ocorra, comece fazendo o seu planejamento financeiro, pois como comentei anteriormente, será praticamente um recomeço. Por meio dos cursos que você tem feito, construa uma rede de relacionamentos, no segmento, participe de feiras, exposições, grupos de interesse, use suas férias para aprender coisas ligadas as áreas que mencionei. Aproveite para ser voluntário em alguma ONG que tenha relação com nova carreira. 

Estude muito e mostre às pessoas desta área o seu interesse em abraçar essa nova carreira. Em algum momento essa mudança irá acontecer, você terá que ter uma resiliência, perseverança, energia e otimismo apesar do momento nada favorável que vivemos. Boa sorte e sucesso!

>> Envie sua pergunta, acompanhada de seu cargo e sua idade, para: diva.executivo@valor.com.br

Karin Parodi é fundadora do Career Center e presidente do conselho da Wave. 

Esta coluna se propõe a responder questões relativas à carreira e a situações vividas no mundo corporativo. Ela reflete a opinião dos consultores e não a do Valor Econômico. O jornal não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.