Inflação pelo IPC-S desacelera na segunda prévia de junho, aponta FGV

SÃO PAULO  -  A inflação apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou de 0,39% para 0,13% da primeira para a segunda quadrissemana de junho, informa a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A maior deflação ocorreu na Alimentação (de -0,27% para -0,39%), influenciada pelo recuo das hortaliças e legumes (de -3,58% para -5,34%).

Mas a maior contribuição para a desaceleração do IPC-S foi Habitação (1,20% para 0,44%), por causa da tarifa de eletricidade residencial (de 6,80% para 1,92%).

Também cederam Transportes (0,01% para -0,08%), Comunicação (0,30% para -0,04%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,73% para 0,56%), Vestuário (0,56% para 0,47%) e Despesas Diversas (0,53% para 0,49%). Nestas classes de despesa, a FGV destaca o comportamento dos itens: gasolina (-0,39% para -0,89%), tarifa de telefone móvel (0,43% para 0,27%), medicamentos em geral (0,72% para 0,08%), acessórios para vestuário (0,94% para 0,86%) e tarifa postal (8,24% para 6,40%), respectivamente.

Em contrapartida, apenas o grupo Educação, Leitura e Recreação (0,15% para 0,36%) subiu, por causa de passagem aérea (de 1,81% para 10,63%).

A FGV apura o IPC-S em sete capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

(Valor)